quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Floresta do Araguaia: Vereador é preso por posse ilegal de arma durante operação da DECA

Uma operação de busca e apreensão deflagrada pela Delegacia de Conflitos Agrários-DECA, com sede na cidade de Redenção, prendeu três pessoas acusadas de posse ilegal de armas dentro da área de ocupação da Fazenda Santa Maria, no município de Floresta do Araguaia, no sul do Pará. Entre os acusados,  está o vereador Raimundo da Silva Lopes, que tomou posse para o segundo mandato de parlamentar no último dia 1º janeiro.
A prisão ocorreu no inicio da tarde desta terça-feira 10, na área rural de Floresta do Araguaia. Segundo o delegado Valdivino Miranda, dentro do barraco do vereador, foram encontradas três espingardas, sendo um rifle  calibre 38, uma espingarda calibre 28 e outra 36. 
Segundo o delgado, as armas seriam usadas pelo vereador, para intimidar posseiros que vivem na área de ocupação que está sob judice. Os outros dois acusados são Adalberto Lopes Silva e Damião Rosa dos Santos, que estavam na propriedade do vereador.
A operação foi fruto de denuncias que chegaram ao conhecimento do delegado Valdivino Miranda, de estaria havendo ameaças de morte na área de ocupação. Ainda segundo o delegado a área é uma área conflituosa e existiam denuncias de que posseiros estariam andando com armas de fogo na cintura.
As denunciais levaram o delegado a solicitar a Justiça de Conceição do Araguaia, um mandato de busca e apreensão, com a finalidade de evitar e coibir conflitos na região. 
Ameaçador: De acordo com o delegado Valdivino, o vereador Raimundo Lopes, é considerado na área de ocupação como um homem temido, que ameaça as pessoas fazendo uso de uma arma calibre.’’ Já existem várias denuncias registradas na delegacia contra o vereador , que teria ameaçado de morte vários posseiros que ameaçavam entrar no lote que possui na região. Ele já fez disparos e ameaçou de morte alguns posseiros e hoje foi preso pela acusação de posse ilegal de arma de fogo’’, disse o delegado. 
Indagado pela reportagem o vereador não quis comentar sobre as acusações, se limitou a dizer que apenas uma espingarda lhe pertencia e que usava a mesma para se defender dos que lhe ameaçam de morte. ‘’Eu sou trabalhador, nunca matei ninguém, mas vivo sendo perseguido, e uma espingarda e pra tentar me defender daqueles que tentam me matar’’, relata o vereador. Raimundo Lopes, disse ainda que na semana passada havia sido ameaçado de morte, por isso estaria com a arma em casa.
Os três acusados foram conduzidos para a sede da DECA, em Redenção, onde foram enquadrados no crime de posse ilegal de armas que por ser um crime afiançável serão liberados depois de pagar a fiança. (Dinho Santos)