sexta-feira, 30 de junho de 2017

Polícia Civil investiga se morte de dono de cartório foi crime de encomenda

A Superintendência de Polícia Civil do Araguaia Paraense, que tem à frente o delegado Antônio Miranda Neto, está investigando o caso do assassinato do dono do Cartório de Redenção, o tabelião Izaulino Pereira dos Santos Júnior, conhecido popularmente como “Júnior do Cartório”, que foi executado na noite do último sábado (24), com dois tiros na cabeça, durante uma emboscada na fazenda da vítima.
                A principal linha de investigação que está sendo utilizada pela equipe que investiga o crime é a de que Júnior foi executado por pistoleiros profissionais. Quem teria executado ou mandado executar o cartorário, a polícia até o momento não revelou para a imprensa.
O delegado que comanda as investigações, Neto Alécio, descartou as possibilidades do crime ter sido um latrocínio, devido nenhum pertence de Júnior ter sido levado pelos matadores. Até a caminhonete da vítima que fora levada pelos criminosos, foi encontrada queimada em uma estrada vicinal.
CRIME: De acordo com informações da Polícia Civil, Júnior se encontrava na fazenda dele, localizada na região da Colônia Agropecus, quando supostamente três homens desconhecidos, realizaram uma emboscada no momento em que o mesmo deixava a propriedade rural. Após retirar a vítima do veículo, a executaram com um tiro no olho e outro na cabeça. Em seguida os pistoleiros fugiram do local na caminhonete do tabelião que foi queimada a cerca de 15 quilômetros do local da execução.
Até o fechamento desta edição a polícia não tinha nenhuma informação dos autores do assassinato do cartorário.
(Dinho Santos)